Visitas

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Aranhas caranguejeiras são descobertas


Nove novas espécies habitam árvores em diferentes regiões do Brasil

As espécies, pertencentes a três gêneros distintos, são Typhochlaena amma (foto 24), Typhochlaena costae (foto 25), Typhochlaena curumim (última foto abaixo), Typhochlaena paschoali, Pachistopelma bromelicola, Iridopelma katiae, Iridopelma marcoi, Iridopelma oliveirai e Iridopelma vanini.
Segundo Rogério Bertani, aracnólogo, pesquisador do Butantan e responsável pelo achado, algumas espécies são bem pequenas. "Dá para dizer que são as menores caranguejeiras arborícolas do mundo", disse Bertani. Um dos três gêneros tem características antigas, o que torna algumas das aranhas "quase relíquias", na visão do cientista. "São remanescentes. É como algo que sobreviveu ao tempo."
Duas das novas espécies vivem dentro de bromélias, comportamento raro em aracnídeos deste tipo, informa o pesquisador. Como as espécies são coloridas e chamativas, ele teme pelo impacto do tráfico de animais.
As nove espécies novas de aranhas caranguejeiras brasileiras, naturais de vegetações de Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga. O estudo com a descrição dos animais foi publicado na última semana no periódico "ZooKeys".
Para Bertani, a descoberta das novas espécies é importante para mostrar que existe uma grande fauna na Mata Atlântica e no Cerrado, que precisa ser melhor estudada por ser pouco conhecida.


Veja Também